10 empresas brasileiras que se tornaram unicórnios e valem bilhões


Ao longo de 2021, o Brasil bateu o recorde de criação de unicórnios (empresas que atingiram uma avaliação de mercado bilionária em dólares). Além de ter ganhado 10 unicórnios só este ano, o Brasil também acumulou um volume recorde de investimento em negócios escaláveis, inovadores e tecnológicos. 

É provável que você também goste:

Veja como pagar o IPVA de 2022 na conta do Nubank

99Pay reduz rentabilidade e 220% do CDI fica limitado a R$ 500, entenda como vai funcionar

Bilionário diz que Visa e Mastercard serão ‘as maiores falências’ de 2022

Atualmente, o Brasil dispõe de 24 startups unicórnios ao todo. Em 2018, a empresa de transporte 99 foi a primeira a atingir a marca. Confira a lista das novas empresas bilionárias brasileiras em 2021:

1. MadeiraMadeira

A MadeiraMadeira surgiu devido a um projeto dos irmãos Daniel e Marcelo Scandian para salvar os negócios da família durante a crise de 2008.

Os dois criaram um site para vender as máquinas da fábrica falida, mas a plataforma foi crescendo aos poucos e se tornou um dos maiores e-commerces de móveis do país. Hoje, a MadeiraMadeira comercializa produtos fabricados por terceiros e possui também sua própria linha de móveis, chamada de Cabecasa.

Fundada em Curitiba, a empresa reúne 2 milhões de produtos e se tornou um unicórnio em janeiro de 2021, após realizar uma série D de US$ 190 milhões 

2. Hotmart

A Hotmart é uma empresa dos setores e-commerce/mídia e foi fundada em 2011 na cidade de Belo Horizonte. O site é direcionado a criadores de conteúdo, onde é possível oferecer e gerenciar produtos digitais como cursos online, e-books e podcasts. 

Com mais de 30 milhões de usuários em 188 países e 490 mil produtos cadastrados, a empresa afirma ter se tornado unicórnio em 2020. No entanto, isso apenas foi divulgado oficialmente quando a Hotmart atingiu uma rodada série C de R$ 735 milhões. 

3. Mercado Bitcoin

O Mercado Bitcoin foi criado em 2012, mas devido a uma alta demanda pela moeda atingiu seu auge só no ano de 2017. Inicialmente, a fintech atuava apenas como uma corretora para compra e venda de criptoativos, como Bitcoin e Ethereum.

Após a corporação japonesa SoftBank liderar um aporte de US$ 200 milhões no Mercado Bitcoin, a avaliação de mercado da empresa subiu para US$ 2,1 bilhões. Assim, em julho de 2021, com 2,8 milhões de clientes, a startup se tornou o primeiro unicórnio a atuar com criptomoedas no Brasil. 

4. Unico

Fundada em 2007 na cidade de São Paulo, a Unico (anteriormente chamada de Acesso Digital), trabalha com proteção de identidade digital e fornece alternativas para autenticação de assinaturas eletrônicas.

A plataforma oferece serviços como compras online, solicitação de crédito e contratação digital de funcionários. Hoje, atende por volta de 800 clientes, como bancos, marketplaces e varejistas. A Unico atingiu o patamar de unicórnio em agosto de 2021, após uma rodada de R$ 625 milhões.

5. Frete.com

O Frete.com é uma empresa holding que une dois ramos no setor de logística: a Cargo X, uma startup de digitalização dos caminhoneiros e a FreteBras que opera com negociação de transporte de cargas. 

A FreteBras foi inaugurada em 2008 em Goiás, enquanto a Cargo X surgiu em 2013 em São Paulo. O conjunto de empresas atingiu a marca bilionária em novembro de 2021 e se tornou o terceiro unicórnio brasileiro no burocrático e complexo mercado de logística. 

O status de unicórnio veio após um investimento de US$ 200 milhões e o Frete.com é a primeira a atuar especificamente com cargas pesadas. O Frete.com tem como projeção crescer 90% em relação ao ano anterior e movimentar R$ 100 bilhões em fretes. 

6. Cloudwalk

A Cloudwalk compete com empresas do mercado de pagamentos como PagSeguro, Cielo, Stone, GetNet e Rede. Apesar de ter sido fundada em 2013, a fintech esteve apta a operar somente em 2019 por conta do desenvolvimento da tecnologia e licenças necessárias para operação. 

Os projetos futuros desse setor virão de tecnologias como blockchain, computação em nuvem, transações digitais e stablecoins. A Cloudwalk atende 150 mil lojas em 4,3 mil cidades e processa US$ 2,4 bilhões em transações anualmente. Em 2021, se tornou um unicórnio após uma rodada série C de US$ 150 milhões. 

7. Daki e JOKR

Outro bom resultado da união de empresas é a parceria entre Daki e JOKR. A Daki foi fundada em janeiro de 2021, enquanto a JOKR abriu as portas em março. Após um investimento anjo de R$ 2 milhões, as empresas se juntaram em julho e em dezembro sua avaliação de mercado estava em US$ 1,2 bilhão. 

Por ser uma empresa brasileira, a Daki foca no mercado nacional. Já a empresa mexicana JOKR é direcionada para o mercado da América Latina e Estados Unidos. Atuando no setor de delivery, o grupo aposta no diferencial da rapidez da entrega e em horários de funcionamento mais extensos. 

8. Merama 

Fundada em 2021, a Merama possui uma trajetória promissora. A startup começou com sedes simultâneas no Brasil e no México, e em menos de um ano alcançou a marca bilionária. 

A Merama conquistou uma avaliação de mercado de US$ 1,2 bilhão em dezembro, após um aporte de US$ 60 milhões, completando sua rodada série B de US$ 225 milhões. O maior interesse da empresa e de seus investidores no momento é o comércio eletrônico da América Latina.

9. Olist

Com o propósito de superar as lojas de departamentos “dentro das lojas de departamento”, a Olist surgiu em 2015 com o Olist Store, um serviço para colocar lojistas nos marketplaces. 

Em 2020, a empresa se expandiu para o ramo de criação de lojas virtuais. A plataforma Olist Shops permite abrir um e-commerce próprio de forma gratuita e em pouco tempo ter acesso ao link de compartilhamento nas redes sociais e sistemas integrados de estoque. 

Assim, a Olist conquistou em dezembro de 2021 uma avaliação de mercado bilionária após um investimento de R$ 1 bilhão numa rodada série E. Hoje, a empresa atende mais de 100 mil lojistas e já cresceu três vezes somente este ano. 

10. Facily 

O Facily atua como um marketplace social: as pessoas se unem para fazer pedidos maiores pela internet e conseguir descontos. A proposta surgiu em 2018 devido ao crescimento acelerado do e-commerce do Brasil. Assim, a empresa passou a vender 46 vezes mais entre janeiro e outubro de 2021.

Após uma extensão de US$ 135 milhões da rodada de série D, a empresa se tornou um unicórnio em dezembro de 2021. A rodada inicial havia sido de US$ 250 milhões, mas o Facily explica que os investimentos realizados são para reforçar a logística e experiência do cliente, além de ser reservados para os projetos de 2022.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: denayunebgt / Shutterstock.com





Link da fonte

Deixe uma resposta