Caixa define regras de uso em compra de ações; entenda


A Caixa determinou as regras para que os trabalhadores possam usar até 50% do FGTS na compra de ações da Eletrobras, no caso de privatização. Em suma, a estatal está no topo da fila de privatizações do governo de Jair Bolsonaro, assim como os Correios.

É provável que você goste também:

Confira os bancos que estão fazendo empréstimo com garantia do FGTS

FGTS: saque-aniversário está liberado; confira o calendário completo de 2022

Caixa Tem: como contratar o seu cartão de crédito sem anuidade?

FGTS: Caixa define regras de uso em compra de ações

De acordo com o Ministério da Economia, com a publicação da Caixa sobre as  regras, os requisitos para o uso dos recursos do Fundo para a compra de ações “já estão disciplinados”. Em suma, não é necessário a autorização do Congresso ou do Conselho Curador do FGTS.

No mês de outubro de 2021, o CPPI (Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos) já tinha aprovado o modelo de privatização da Eletrobras. Em suma, devem ser colocados à venda em torno de R$ 23 bilhões em ações da companhia. Além disso, os trabalhadores podem usar até 50% do saldo de cada uma das contas vinculadas do FGTS na compra dessas ações. O cálculo dos 50%, no entanto, obedece a algumas regras.

De acordo com o CPPI, até R$ 6 bilhões do saldo do FGTS poderão ser usados para fazer a compra das ações da Eletrobras. A compra das ações será feita por meio de Fundos Mútuos de Privatização ligados ao FGTS (FMP-FGTS). Dessa forma, os recursos do FGTS dos trabalhadores poderão ser usados para a compra de quotas destes fundos.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: rafapress / Shutterstock.com





Link da fonte

Deixe uma resposta