qual o melhor para comprar a casa própria?


Quando o tema é compra da casa própria, muita gente tem dúvidas sobre o que é melhor: consórcio ou financiamento. Bem, a resposta é que, no fim das contas, o melhor mesmo é guardar dinheiro e comprar a casa à vista. Porém, para a maioria dos brasileiros, esta é uma realidade praticamente impossível. Então, se é para pagar aos poucos e arcar com taxas, o que considerar antes de decidir por um consórcio ou um financiamento? Para saber a resposta, continue lendo!

É provável que você também goste:

Santander lança feirão de imóveis online e aceita FGTS na entrada; veja como participar

Caixa: como fica o financiamento da casa própria com o aumento da Selic?

Novo seguro do Casa Verde e Amarela vai garantir mais segurança aos moradores

Consórcio ou financiamento? Qual é o melhor para comprar a casa própria?

Live do SCD

Em primeiro lugar, é preciso falar das diferenças entre os dois. A mais significativa é que, com o consórcio, você pode demorar mais para ter o bem. Já o financiamento é uma dívida que te garante o acesso praticamente imediato à casa. Outra diferença é que o financiamento exige um valor mínimo de entrada e, em geral, é necessário ter pelo menos 20% do valor do bem para dar de entrada. Os consórcios, por outro lado, não exigem valor mínimo.

E mais: o financiamento é uma forma de empréstimo. Ou seja, uma dívida com juros que você assume por um determinado período de tempo. Portanto, seu perfil financeiro interfere muito nas condições de financiamento. Para quem está com o nome sujo ou score de crédito baixo, pode ser mais difícil conseguir boas taxas.

Além disso, os juros do financiamento mudam conforme o cenário econômico. Quando as taxas de juros sobem, os juros ficam mais caros e você corre um risco maior de se endividar. Hoje, com a Selic a 9,25%, essa é uma possibilidade.

Por fim, de modo geral, os financiamentos oferecem prazos maiores que os consórcios. Mas, trata-se de uma forma de endividamento e, em caso de falta de pagamento, você pode perder o bem. Os prazos de pagamento também são mais longos e as taxas mais baixas, em alguns casos.

Já o consórcio exige um pouco de sorte. Neste modelo, vários compradores se unem e pagam todos os meses as parcelas necessárias para comprar um bem de interesse comum. No entanto, todo mês, somente uma minoria dessas pessoas vai receber a carta de crédito para comprar aquele bem. Um dos problemas do consórcio é que ele cobra uma taxa alta para administrar seu dinheiro, embora os prazos também costumem ser menores.

Em todo caso, o melhor a fazer é usar simulações de financiamento e consórcio para saber se a diferença entre os dois é muito grande para o seu perfil.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Andrey_Popov / Shutterstock.com





Link da fonte

Deixe uma resposta